Consultoria

00. Como Organizar uma Festa Junina

26/10/2009 ás 11:54:29

O mês de junho é marcado por fogueiras, danças, comidas típicas e muitas bandeirinhas coloridas realçando as peculiaridades de cada região brasileira. Não é preciso gastar muito, nem ter grandes habilidades manuais. O importante é participar, reunindo a família e amigos para uma gostosa brincadeira.



ImprimirImprimir

01. Origem da festa junina

26/10/2009 ás 11:56:26

A ‘festa joanina’, em homenagem a São João, originou-se nas regiões católicas européias e chegaram ao Brasil com os portugueses. No mês de junho   comemora-se o aniversário de três santos muito populares: Santo Antônio no dia 13, São João no dia 24 e São Pedro no dia 29. No Brasil a festa passou a ser chamada de ‘junina’ e incorporou-se aos costumes dos índios e negros. Um exemplo dessa mistura é a introdução do coco, da mandioca e do forró como elementos impregnados a tradição. Assim, cada região brasileira incrementa os festejos juninos de acordo com os costumes arraigados na localidade. No Nordeste o mês de junho representa mais do que uma festa. É um agradecimento aos Santos pelas chuvas, que aliviam a vida dos que moram em regiões secas. Para o sucesso do arraial é preciso unir decoração, vestuário, comida típica, fogos, música e muita animação.



ImprimirImprimir

02. Simpatias

26/10/2009 ás 11:58:58

Santo Antônio é conhecido como o “Santo Casamenteiro”. Sua popularidade é muito grande, pois, representa o ‘protetor da família’ e, também, auxilia as solteiras a arranjarem um casamento. O povo brasileiro gosta de misturar religiosidade com superstição e utiliza as simpatias como forma de diversão, mas se conseguir resultados melhor ainda...

Há várias simpatias para arranjar namorado. A mais conhecida: a solteira deve ganhar uma imagem de Santo Antônio e virá-la de cabeça para baixo como um castigo, só desvirando quando conseguir seu objetivo. Outra interessante simpatia: se a mulher já tem um namorado ou pretendente, mas quer apressar o casamento deve amarrar um fio de seu cabelo ao do namorado e colocar nos pés de Santo Antônio, que resolverá a situação rapidamente.
 
O bolo de noiva  é mais uma atração da festa. Colocam-se fitinhas de cetim embaixo do bolo e as solteiras deverão puxá-las. Quem retirar um terço ficará no 'caritó', isto é, não casará; quem puxar uma aliança ou um escapulário de Santo Antônio irá ser a próxima a casar.



ImprimirImprimir

03. Decoração Junina

26/10/2009 ás 12:01:14

A varanda, a garagem, a rua, o quintal, o clube ou até mesmo um galpão podem ser utilizados para a festa. A ornamentação é simples, basta  enfeitar com as famosas bandeirinhas, encontradas em lojas de festas infantis (já prontas para decorar)  coladas em  cordões. Outra maneira:  recortar em formato triangular plástico ou papel seda  nas cores primárias (vermelha, branca, verde, azul e amarela);  depois colar as bandeirinhas, uma a uma, em barbantes e estirá-los como se fossem varais.  Balões coloridos,  intercalados entre as bandeirinhas, enriquecem a decoração. Pode-se complementar , também,  com palha de coqueiro ou bananeira ornamentando postes,  colunas e entrada da festa.

A  fogueira é um dos símbolos da festa junina. Para fazê-la é preciso certo cuidado! Se o chão for de cimento ou asfalto deve-se preservá-lo, colocando tijolos no formato de um quadrado e encher com areia toda a superfície que será usada. As toras de madeira, sempre secas, serão distribuídas paralelas, de duas em duas, até formar uma espécie de pirâmide. Após certificar-se de que as toras estão bem empilhadas, deve-se amarrá-las com arame para evitar que caiam. Uma hora antes da festa já poderá acendê-la, do mesmo jeito que se acende a churrasqueira.  Quem tiver receio ou não gostar de fumaça, poderá  enfeitar a fogueira com papel celofane nas cores vermelha e amarela, imitando o fogo. 

A toalha da mesa, onde ficarão as comidas,  deverá ser estampada (chita) ou de xadrez em cores berrantes como  vermelho, verde, laranja e amarelo. A juta, a esteira e a folha de bananeira são alternativas para cobrir a mesa. As peneiras de palha enfeitadas com fitas coloridas e revestidas com papel celofane servirão de travessas para as comidas. Outros objetos como potes de barro e cestas  complementarão o visual tipicamente artesanal. Algumas pessoas colocam uma imagem de Santo Antônio e fitas coloridas para enriquecer a decoração.



ImprimirImprimir

04. Quitutes e bebidas Juninos

26/10/2009 ás 12:02:50

As comidas a base de milho e coco são diversificadas e saborosas. Milho assado e cozido, canjica, pamonha, cocada, arrumadinho de carne-seca, arroz doce, bolos de milho, de macaxeira e de fubá, tapioca, amendoim açucarado, caruru, etc.

Como evitar bagunça na cozinha e a canseira da anfitriã no dia da festa? 


Hoje a praticidade é fundamental! Por tratar-se de uma festa entre familiares e amigos pode-se dividir o custo total da festa entre o número de participantes, encomendando todo o serviço de comidas, bebidas, etc.  Reservarcom
 antecedência. Outra possibilidade é fazer a lista das comidas, para as mulheres levarem; e de bebidas, para os homens providenciarem. Caberá a anfitriã encarregar-se da decoração, inclusive de uma mesa grande para arrumar os quitutes; além disso, comprar gelo e encher isopores para as bebidas, caso não caibam no freezer e/ou geladeira.
Porém,  quem quiser fazer uma receita rápida e prática é só comprar os ingredientes em qualquer supermercado. Eles vêm em embalagens com instruções e pré-cozidos como a canjica e o mungunzá, por exemplo. Evita, assim, a exaustiva ‘ralação de milho’, como na época das nossas avós! Ai vai uma receita prática...
 
Bolo de milho - 01 lata de milho verde; 01 pote de margarina ou manteiga pequeno; 04 ovos; 02 xícaras de açúcar; 02 xícaras de flocão de milho; 01 vidro pequeno de leite de coco; 01 pacote de 50 gramas de queijo   parmesão ralado; 01 colher rasa de fermento; e 01 xícara de leite.  Modo de fazer: bater todos os ingredientes no liquidificador e levar ao forno. Fatie o bolo e distribuia-o numa peneira coberta com uma toalhinha de bandeja, papel celofane, ou palhas de milho. Bom apetite!

As bebidas ficam a critério do gosto de cada um, mas o quentão e a cachaça  são muito apreciados.   A cachaça 'cravo e canela' , por exemplo, serve-se uma dose com uma colher de mel de abelha (de boa qualidade) e mexe-se com canela em pau. 
O quentão é feito com 06 xícaras de água; 12 cravos; 01 pedaço de gengibre; 06 canelas em pau;   02 limões cortados em rodelas finas;  1/2 xícara de açúcar; e 01 garrafa de vinho tinto (geralmente utiliza-se vinho de garrafão). Modo de fazer: colocar a água com os cravos,  o gengibre, a canela, o limão e o açúcar numa panela. Deixe levantar fervura e cozinhe por 30 minutos. Retire do fogo e deixe a panela tampada descansar por 01 hora. Coe, adicione o vinho e sirva quente, em canecas de ágata. 


Deve-se servir outras bebidas, tais como: sucos, refrigerantes, água mineral, cerveja, água de coco, etc.



ImprimirImprimir

05. Vestuário Junino

26/10/2009 ás 12:03:36

A roupa é a mais descontraída possível. Para as mulheres: vestido de chita estampado com muitos babados ou xadrez em cores fortes. Para os homens: calça jeans com remendos de tecidos, camisa xadrez e lenço no pescoço igual ao tecido do vestido da dama, além de chapéu de palha. Quanto à maquiagem, cabe a mulher exagerar um pouco mais, no batom e blush; os homens, acrescentarão bigode, costeletas e cavanhaque.

Há personagens na festa junina que são: os noivos, o pai da noiva, o padre, o delegado e o sacristão. Cada um veste-se de acordo com sua caracterização.  O noivo veste um terno remendado com aparência de malafrojado. A noiva é a maior atração com vestido branco de renda e véu escondendo o rosto. O pai da noiva, se possível, usa um terno branco, de linhão, botas e chapéu de couro. O delegado chama a atenção pelo colete e as algemas na cintura. A batina do padre pode ser adaptada com um tecido preto cortado em formato de círculo no meio, dando uma aparência de poncho e o sacristão poderá imitar a vestimenta do padre.

É preciso lembrar que a improvisação faz parte da brincadeira. Remexendo nos guardados sempre se encontrará alguma roupa ou tecido para se adaptar como vestuário.



ImprimirImprimir

06. O Casório

26/10/2009 ás 12:04:31

A  quadrilha representa a festa em comemoração a  celebração de um casamento. Há um 'teatrinho' com muito humor, em que surge o noivo sendo arrastado pelo delegado e, sob pressão do coronel (pai da noiva - fazendeiro ignorante), é obrigado a se casar.  A alegação para o casamento forçado é de que a filha do coronel, moça 'donzela', fugiu com o rapaz. A noiva, sempre cabisbaixa e chorando, fica ao lado do noivo e o casamento é realizado contra a vontade do rapaz. Após o casamento começa o arrasta-pé.



ImprimirImprimir

07. O Bolo de Noiva

26/10/2009 ás 12:05:12

O bolo confeitado é, geralmente, na cor branca e salteado de bolinhas prateadas,   flores vermelhas ou com bandeiras e fogueira. O casal de noivos vestidos de matuto no alto do bolo para arrematar.



ImprimirImprimir

08. Música e Dança

26/10/2009 ás 12:06:05

A música poderá ficar a cargo de um grupo de forró, contratar um DJ ou, ainda, ligar o som com cd’s de forró. A quadrilha é uma dança muito animada em que os casais fazem passos ensaiados e se revezam de acordo com as orientações do ‘puxador da dança’. O puxador da quadrilha é uma pessoa responsável pelo desenrolar da apresentação de cada etapa da dança. A quadrilha foi trazida ao Brasil pelos europeus, no início do século XIX, passando a ser dançada nos salões da corte e da aristocracia. Hoje é a atração principal de qualquer festa junina.Alguns passos da quadrilha estão abaixo. Arrangem uma pessoa bem extrovertida para puxar a quadrilha.

Passos da quadrilha

Anarriê e alevantú – são termos que significam recuar e avançar. Intercalam-se os passos com anarriê e alevantú.
1º Passeio dos namorados - os pares de braços dados, em fila desfilarão indo um par para o lado esquerdo e o outro para o lado direito. O grupo de casais que foram para o lado esquerdo fica lado a lado; o mesmo procedimento para os casais do lado direito.
2º Os cumprimentos – os grupos já estão formados e ficam um em frente ao outro, indo todos para o centro do salão se cumprimentam e retornam aos seus lugares.
3º O cumprimento das damas – os homens batem palmas, enquanto as mulheres vão até o meio dançando e segurando a saia. Cumprimentam sorrindo. Em seus lugares (retornam aos seus lugares, para ficarem ao lado dos cavalheiros).
4º O cumprimento de cavalheiros – os homens vão até o meio batendo os pés com as mãos para trás, depois tiram o chapéu, cumprimentando as damas e se curvam. Em seus lugares (retornam aos seus lugares colocando o chapéu)

5º O Galopê – de dois em dois cruzam-se os pares da esquerda e direita no meio do salão, e trocam de
lugares, sempre galopando.

Do 6º até o 11º item os passos são feitos em fila indiana!

6º Caminho da roça – cada dama fica na frente de seu cavalheiro, como fila indiana, havendo dama e cavalheiro, respectivamente.
7º Olha a chuvvvaaa – as mãos de cada pessoa são entrelaçadas acima da própria cabeça.
8º Já passooouuu - os homens colocam os braços para trás e as mulheres seguram a saia.
9º Mariii rose - as damas levam as mãos para trás, por cima da cabeça e seguram as mãos do cavalheiro que está atrás dela; Rose mariiiiiii – o cavalheiro passa a frente da dama, ainda segurando suas mãos, invertendo as posições.

10º. Olha a cobraaa – todos pulam
11º Já matouuuuuu – param de pular e continuam andando
12º Preparar-se para a grande roda – todos dão as mãos
13º Grande roda – a roda já formada vai girando 
14º Damas ao centro – as damas fazem uma roda por dentro da roda maior que permanecem os cavalheiros
GIRANDOOOO
15º Preparar-se para a cestinha de rosas - damas ao lado direito de seus cavalheiros, ainda com as duas rodas formadas. 
16º   Cestinha de rosas, enlaçouuuuuu – os homens erguem os braços e ficam as duas rodas entrelaçadas.
RODANDOOOOO
17º Grande roda –  voltam à posição do item 13º, dando-se as mãos.
18º Cavalheiros ao centro
19º Preparar-se para a cestinha de cravos – os cavalheiros ficam a direita de seu par.
20ª Cestinha de cravos, enlaçouuuuuuuu – as mulheres erguem os braços e ficam as duas rodas entrelaçadas.
GIRANDOOOO
21ª Grande roda.
 
22ª Preparar para o caracol – a noiva começa a puxar a fila
23ª Olha o caracol - sem desfazer a roda, a noiva puxa a fila para o centro do salão, formando uma serpentina.
24ª Desmanchar o caracol – é desfeita a serpentina com a noiva retornando para o lugar inicial, formando-se a grande roda novamente.

25ª Passeio dos Namorados – os pares são formadose andam em fila. os pares de braços dados, em fila desfilarão indo um par para o lado esquerdo e o outro para o lado direito. O grupo de casais que foram para o lado esquerdo fica lado a lado; o mesmo procedimento para os casais do lado direito.
26ª Preparar-se para o túnel – todos se dão às mãos por cima da cabeça, formando um túnel.
27ª Olha o túnel – o primeiro casal entra no túnel e os outros vão seguindo até desfazer o túnel.
28ª Passeio dos namorados

29ª DESPEDIDA – os cavalheiros saem acenando com o chapéu; as damas acenando com a mão.
 
A partir daí todos estão liberados para dançar o forró. 



ImprimirImprimir

09. Fogos de Artifício

26/10/2009 ás 12:07:01

Quanto aos fogos todo o cuidado é pouco, principalmente com as crianças! Orientar a criançada para usar o ‘traque’, uma espécie de bombinha que jogada ao chão faz um barulhinho e não prejudica. Os ‘coqueirinhos’ são indicados para crianças maiores, mas sempre com acompanhamento e orientação de adultos. O grau de dificuldade e perigo dos fogos será determinado pela idade e atenção dos que irão manuseá-los.



ImprimirImprimir

Receba o Ebook!


* Nome:
*  Email:
*  Verificar:


Enquete

O que você considera mais importante em um Evento ?